Categoria: Transporte

Rodrigo de Castro participa de inaugurações em Ervália e Viçosa

O deputado federal Rodrigo de Castro esteve na Zona da Mata neste último sábado (19/09) para duas importantes inaugurações. Logo no início da tarde, participou, em Ervália, da cerimônia de inauguração da ponte que liga o Vale do Sol à Praça do Rosário. Um antigo sonho dos moradores, que agora terão uma via mais rápida e segura de acesso. Juntamente com o prefeito Nautinho, o deputado estadual Roberto Andrade, o presidente da Câmara Municipal, Helder Mattos, e o ex-secretário de Governo de Minas Gerais, Danilo de Castro, o deputado destacou a entrega de mais uma obra para o povo ervalense e reafirmou o compromisso de continuar trabalhando para o município.

Essa ponte é um pedido antigo da comunidade e irá melhorar muito o acesso dos moradores. Tenho um orgulho muito grande de estar nessa inauguração, ao lado do Nautinho, prefeito que tem transformado essa cidade, do deputado Roberto Andrade, atuante na Assembleia na defesa dos interesses de Ervália, e dos vereadores. Hoje é dia de celebrar o desenvolvimento, o progresso e a administração do Nautinho, que atua sempre a favor dos verdadeiros interesses da nossa cidade. Parabéns, Ervália, por essa obra”, afirmou Rodrigo de Castro.

O deputado lembrou, ainda, que a obra da ponte foi uma parceria com o Governo de Minas, durante a gestão do PSDB. “Temos que lembrar e agradecer aos ex-governadores Antonio Anastasia e Alberto Pinto Coelho que tiveram a sensibilidade de entender nossas necessidades e confiaram na nossa capacidade de realizar as mudanças que Ervália precisa e sua população merece. Por isso, também temos que agradecer o trabalho incansável de meu pai, Danilo de Castro, que dedicou toda sua vida pública para trazer mais desenvolvimento para a cidade”.

A inauguração da ponte vai permitir que a rua Vereador Geraldo Juarez de Almeida passe a ser mão única, desafogando o trânsito de toda região.

Danilo de Castro também participou da inauguração da ponte e destacou o trabalho do prefeito Nautinho para a melhoria da qualidade de vida dos moradores de Ervália.

Hoje é um dia de festa, de alegria e a concretização de um grande sonho que é essa ponte. E isso só tem sido possível graças ao nosso prefeito Nautinho, uma pessoa séria que vem transformando Ervália”, ressaltou.

Viçosa: Escola Municipal Juscelino Kubitschek

No fim da tarde de sábado, o deputado federal Rodrigo de Castro esteve em Viçosa para participar da inauguração da Escola Municipal Juscelino Kubitschek, na Barrinha. Durante seu pronunciamento, Rodrigo de Castro ressaltou seu compromisso com a Educação e sua parceria com a cidade.

Temos um dever de trabalhar pela Educação. Nosso futuro será determinado pelo investimento que fizermos na formação das nossas crianças. É por isso que me orgulho de estar ao lado do competente e jovem prefeito, Ângelo Chequer, e do deputado estadual Roberto Andrade. São homens que estão alinhados com nosso compromisso de elevar a qualidade das escolas de Viçosa. Já temos um histórico de realizações na cidade e vamos continuar trabalhando para que nosso ensino seja referência em todo o Estado de Minas Gerais”, destacou.

Viçosa:

Crédito: Arthur Vieira
Ervália:

Rodrigo de Castro debate recuperação da indústria naval

Em audiência pública com o ministro Aloizio Mercadante, deputado discute soluções para salvar os empregos do setor e como reduzir as perdas dos fundos de pensão

O deputado Rodrigo de Castro presidiu nesta quarta-feira (05/08) audiência pública da Comissão de Minas e Energia que debateu com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, a crise na indústria naval brasileira. Somente em janeiro deste ano, foram 3 mil demissões nos estaleiros. Apesar de admitir que há uma forte crise no setor, agravada pelas revelações e prisões da Operação Lava Jato, Mercadante não apresentou nenhum planejamento do governo para a retomada dos investimentos e garantia dos empregos. Atualmente, são 69 mil empregados no setor naval brasileiro, mas esse número já chegou a 82 mil.

“Infelizmente, a previsão é de que em 2015 teremos um cenário ainda pior para os empregos na indústria naval. Pela apresentação do próprio ministro, há uma previsão de que menos contratos sejam firmados nos próximos anos, além de haver uma diminuição dos recursos disponíveis para o financiamento dos projetos. Mesmo diante de tantas dificuldades, percebemos que o governo da presidente Dilma não tem um plano de trabalho para tentar salvar os milhares de empregos da indústria naval” afirmou Rodrigo de Castro.

O ministro creditou a crise no setor à queda do preço do Petróleo no mercado internacional e aos escândalos de corrupção na Petrobras que, segundo estudos apresentados por ele, terão impacto negativo de 1% no PIB brasileiro neste ano. Especificamente em relação à indústria naval, o principal entrave está na empresa Sete Brasil, que foi criada para gerenciar as sondas de exploração de petróleo. Responsável por encomendas de sondas para os estaleiros, a empresa está envolvida na Operação Lava Jato e tem tido dificuldades de obter financiamentos e honrar seus compromissos com os estaleiros.

Mercadante defendeu que a Sete Brasil seja recapitalizada, mas não especificou como isso deve ser feito. O ministro admitiu que, diante da crise, alguns estaleiros serão fechados e haverá demissões, mas acredita que a médio e longo prazo haverá uma recuperação do setor. Ele acredita ainda que o Brasil deve investir em pesquisa para ganhar competitividade e agregar valor e que a participação do governo nessas atividades é fundamental.

Fundos de pensão
Entre os sócios da empresa Sete Brasil, estão bancos, empresas privadas, a própria Petrobras e fundos de pensão. Rodrigo de Castro demonstrou preocupação com o prejuízo que os fundos possam ter prejudicando trabalhadores. O prejuízo estimado é de R$ 2,5 bilhões. O fundo dos funcionários do Banco do Brasil (Previ) e da Caixa Econômica Federal (Funcef) estão entre os acionistas da Sete Brasil.

Os fundos de pensão atravessam um momento muito difícil no Brasil e tememos que os erros de gestão da Sete Brasil tragam grandes prejuízos para os trabalhadores“, afirmou o deputado.

Ainda durante a audiência, o ministro sugeriu que seja feito um trabalho conjunto entre técnicos do governo e membros da Comissão de Minas e Energia para que seja avaliada a situação de cada estaleiro brasileiro.

Etanol é a melhor opção de combustível para o bolso e para o meio ambiente

O etanol tem sido a opção de combustível mais vantajosa para os motoristas, tanto do ponto de vista financeiro quanto para a saúde e o meio ambiente. No lado econômico, o álcool tem sido, para os mineiros, alternativa melhor ainda desde março, quando o preço do etanol ficou mais atrativo, enquanto o valor da gasolina foi reajustado.

A queda no preço do álcool aconteceu no ano passado devido a redução do ICMS cobrado sobre o etanol de 19% para 14%. Essa redução foi de encontro a uma política de valorização iniciada na administração do PSDB em Minas Gerais.

Esse é, portanto, um momento de oportunidade para a retomada da indústria sucroalcooleira em Minas Gerais. E, neste momento, a Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig) divulga a campanha “Eu vou de Etanol”.

O importante dessa campanha é conscientizar o consumidor de que, além do preço vantajoso, o etanol traz outros benefícios para todos nós.

Em comparação com a gasolina, reduz em 90% a emissão de gases do efeito estufa e apresenta excelente qualidade. Até mesmo para a saúde, o etanol é benéfico. Seu uso reduz o índice de doenças alérgicas e internações.

Em Minas, a cadeia de produção do etanol também tem grande importância social e econômica, ao empregar cerca de 80 mil pessoas em 150 municípios do interior do Estado.

Para quem quiser checar se o preço do etanol está realmente vantajoso, o site da campanha Vou de Etanol disponibiliza uma calculadora para fazer a comparação.
Com essa opção, estamos ajudando nosso bolso, o meio ambiente, nossa saúde e um importante mercado de trabalho.

Em entrevista para Itatiaia deputado fala sobre Aerotropole

Minas tem o primeiro aeroporto industrial do País! Belo Horizonte será um centro com mais voos e com a perspectiva de indústrias no entorno do aeroporto, podendo importar e exportar. Teremos, em Confins, um pólo gerador de emprego e renda muito forte em termos nacionais e internacionais.

Ouça:

Rodrigo de Castro participa de cerimônia que anuncia nova etapa do “Caminhos de Minas”

O deputado Rodrigo de Castro participou hoje (13), no Palácio Tiradentes, da cerimônia de lançamento de uma nova etapa do programa “Caminhos de Minas”, que em sua totalidade irá beneficiar mais de 300 municípios em todo o estado. O governador Antonio Anastasia anunciou que nesta fase serão asfaltados 37 trechos, que representam 1.248 quilômetros com investimento de R$ 2 bilhões. Na ocasião o governador deu a ordem para o início da elaboração de projetos de engenharia para mais 54 trechos no valor de R$ 80 milhões. Anastasia também autorizou a abertura de processo licitatório para a elaboração de projetos de engenharia para outros dez trechos que, juntos, somam mais R$ 22,5 milhões em investimentos.

O deputado Rodrigo de Castro ressalta a importância de programas como este para o desenvolvimento econômico e social de Minas Gerais. “Nosso estado possui a maior malha rodoviária do país. Porém, ainda existem regiões que carecem de rodovias asfaltadas ou com as mínimas condições de trafegabilidade. O projeto “Caminho de Minas” vai beneficiar mais de 300 municípios, asfaltando e melhorando o acesso em mais de 240 trechos em todo o estado. É o maior programa rodoviário da história de Minas Gerais e irá levar desenvolvimento não apenas econômico, a todas estas localidades, mas desenvolvimento social, uma vez que irá melhorar o acesso a produtos e serviços para todos os beneficiados. Além de dar mais seguranças a todos os motoristas que trafegam nas nossas estradas. Isto sim é desenvolver de forma planejada e estruturada e esse é um dos objetivos do Governo de Minas”, declara o deputado.

Entre os municípios beneficiado estão Araponga, Bueno Brandão, Chapada do Norte, Divinésia, Dom Silvério, Ervália, Itabirinha, Mar de Espanha, Paula Cândido, Pedra Dourada, São Domingos do Prata e Unaí.

Com informações: Agência Minas

Awesome Flickr Gallery Error - Gallery ID 126 has been either deleted or not configured.

Falta segurança nas rodovias federais

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, venho aqui manifestar minha preocupação com os fatos ocorridos na rodovia Fernão Dias, nesta última segunda-feira (28), que liga São Paulo ao meu querido Estado de Minas Gerais. Lamentavelmente, manifestantes bloquearam a rodovia, saquearam, queimaram ônibus, caminhões, enfim, levaram o terror à região.
Quero registrar que existe uma PEC de minha autoria, de 2007, quando, sensibilizados com esse problema, antecipávamos, solicitando que as Polícias Militares atuassem complementarmente à Polícia Rodoviária Federal no patrulhamento ostensivo dos trechos das rodovias federais localizadas no âmbito do estado.

Quero aqui fazer um apelo à Presidente da República para que olhe mais pela segurança em nosso país. Lembro que o povo não quer saber de burocracia; a população não quer saber se é Polícia Rodoviária Federal, se é Polícia Militar. O que a população exige é segurança. Portanto, quanto menos burocracia melhor.

Muito obrigado, Sr. Presidente.

Ouça:

Setor aéreo: o gosto amargo da incompetência

Todo dia, centenas de pessoas sofrem nos aeroportos, agoniados com atrasos – muitas vezes, não razoáveis –, cancelamentos de voos, falta de informação, extravio de bagagem e, principalmente, com o descaso das companhias aéreas que, absurdamente, agem como se todo esse caos fosse normal.

 Assisto a isso sempre nos aeroportos e, no dia de ontem (19/12), em voo de Brasília a Belo Horizonte, resolvi registrar um pouco do gosto amargo dessa gestão incompetente e omissa que, por falta de infraestrutura e também por mau atendimento, vem causando e prolongando a crise do setor aéreo.

 

O Voo 3853 da Tam, de Brasília para Belo Horizonte, de 19/12, estava previsto p/ 21h28.


Ao chegar ao aeroporto, às 20h50,  munido do cartão de embarque, fui informado de que o embarque seria pelo portão L e da previsão de atraso de 27 minutos.

[audio:http://rodrigodecastro.com/wp-content/uploads/2012/12/Portal-de-letra-L.mp3]


A entrada para o portão é nova e a sinalização, insuficiente. Ao entrar no portão, somos encaminhados para um salão com outras portas de entrada. Sobre esta, não há avisos indicativos do voo. O embarque é remoto, ou seja, há um percurso a percorrer de ônibus até o avião. Embarcaram dois cadeirantes entre os passageiros. Segundo o funcionário da companhia, só comportava um. Um dos cadeirantes precisou ser amparado pelo funcionário para subir um andar e sentar na cadeira disponível.

Em seguida, o ônibus deslocou-se até um terminal temporário, chamado de terminal de lata. Estava cheio de passageiros esperando pelo embarque. Outra previsão de chegada da aeronave: 22h30.

Vou até um totem para carregar o celular. Não funciona.

22h30 e nem mais um chamado.

Às 22h40, as pessoas esperam ansiosas e cansadas pelo ônibus que nos levaria até o avião.

São 22h50: esperando na parte de fora dos terminais para entrar. A funcionária da Tam, que recolheu os cartões de embarque, não pediu documento de identidade. Não o apresentei nenhuma vez no aeroporto.

22h56,  subo as escadas e entro no avião.

23h24,  avião começa a movimentar. Conto a um amigo a história. Ele diz “Cê tá de sacanagem!”. Respondo que  a sacanagem é da Infraero.

 

23h30,  avião decola!

 

00h28, pouso no aeroporto Tancredo Neves em Confins. Até agora nem um pedido de desculpas ou explicação do atraso, por parte da Tam.

 

00h30, aterrissagem. Nenhum pedido de desculpas ou explicação do atraso pela Tam.

 

00h34, desembarco do avião. Agora, viagem até BH.  Eta saudades de casa!

 

Viajar de avião é uma experiência única e o meio mais rápido de locomoção. Conhecer e rever pessoas e lugares, tudo isso é um momento maravilhoso de alegria e de emoção que não pode ser frustrado ou comprometido por um desserviço público: falta de planejamento e de gerenciamento, improviso e desrespeito ao usuário.

A crise do setor aéreo brasileiro não se mede apenas pela já notória deficiência da infraestrutura – insuficiência da malha e equipamentos, precariedade das instalações dos terminais e alas de check-in, incapacidade dos pátios de estacionamento de aeronaves, falta de treinamento do pessoal. Mede-se também pela qualidade do atendimento que se presta ao passageiro, desde a marcação da passagem até o seu pouso no destino; pela pontualidade dos voos; enfim pelo respeito que deve caracterizar qualquer relação de consumo.

Um país, às vésperas de sediar a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de Futebol, não pode descuidar da infraestrutura, sob pena de jogar pelos ares todo o investimento com os estádios e as arenas. O esforço de trazer esses eventos para o Brasil tem que dar resultado. O tiro não pode sair pela culatra.

Rodrigo de Castro, deputado federal e secretário-geral do PSDB