Perfil

Política não é abstração e tem a ver mais com ação que com pensamento, com diálogo que com discurso, com resultado que com proposição.

Rodrigo de Castro

Rodrigo de Castro, político por vocação

É o que sei e gosto de fazer

Rodrigo de Castro

Rodrigo de Castro, 45, é advogado, administrador, especialista em marketing e mestre em gestão estratégica das organizações. Dedica-se à atividade política desde 1995.

Em 2006 disputou a sua primeira eleição, tendo sido eleito deputado federal por Minas Gerais com quase 300 mil votos. Em 2010, disputou novamente as eleições para deputado federal, e foi eleito, outra vez, o candidato mais votado de seu estado. Em sua terceira eleição, no ano de 2014, recebeu 292.848 votos.

Na área privada, antes de ser deputado, atuou como advogado em importantes escritórios e causas judiciais. Além de profissional liberal, foi empresário na área do turismo, quando, em 2002, aceitou convite para participar da equipe do governo Aécio Neves, ocupando o cargo de Chefe de Gabinete de Antonio Anastasia, então Secretário de Estado de Planejamento, onde permaneceu até a sua desincompatibilização para disputar as eleições de 2006.

Como Chefe de Gabinete, ajudou Antonio Anastasia a elaborar o Plano de Governo “Choque de Gestão”, com a concepção dos programas estruturantes que sanearam as finanças do Estado, preparando-o para a retomada do desenvolvimento.

Colaborador e amigo de Anastasia, Rodrigo de Castro levou-o para o PSDB, possibilitando-lhe, com a filiação ao partido, compor a chapa de Aécio Neves, nas eleições para Governador, em 2006.

Rodrigo de Castro destaca-se na Câmara dos Deputados por seu intenso trabalho em favor das causas de Minas e em defesa dos municípios.Em Brasília, tem procurado ser um embaixador dos municípios junto aos ministérios e, da mesma forma, em Belo Horizonte, junto às secretarias de Estado.

Em 2015, foi eleito presidente da Comissão de Minas e Energia. Liderou debates fundamentais para o país sobre a alta das tarifas de energia elétrica e os graves problemas enfrentados pela Petrobras. As discussões na Comissão resultaram na apresentação de importantes projetos de lei que tramitam na Câmara e resultarão, se aprovados, em benefícios para os consumidores e na melhor regulamentação do setor elétrico.

Não existe candidato e, portanto, político sem partido, a base ideológica que respalda a representação do povo

Político nasce no partido. E, para crescer nele, tem que fazê-lo crescer

Rodrigo de Castro

Já no seu primeiro mandato, foi nomeado Secretário-Geral de seu partido, o PSDB. A eleição de um parlamentar de primeira legislatura para cargo tão importante era fato inédito na história do partido. A dedicação e a qualidade do trabalho no exercício do cargo valeram a sua reeleição.

Rodrigo de Castro identificou logo que deveria dedicar-se à união e ao fortalecimento do partido. Como apóstolo dessa causa, viajou o Brasil inteiro com o Senador Sérgio Guerra, presidente do PSDB, com quem conseguiu recompor o partido em muitos estados e municípios, onde a eleição presidencial havia deixado sequelas.

Nessa empreitada de consolidar a união do partido e, mais adiante, como encarregado de prepará-lo para as eleições de 2010 e para as municipais de 2012, Rodrigo de Castro, em suas viagens pelo Brasil, acompanhou-se de um amigo e líder incontestável, por quem tem grande admiração e respeito: Aécio Neves, cujo espírito público e visão partidária muito contribuíram para a construção de uma nova base de posicionamento político e fortalecimento do PSDB e das oposições. Atualmente, Rodrigo de Castro faz parte da equipe da Executiva Nacional do PSDB, como tesoureiro.

Rodrigo de Castro entende que sua missão, como político, é melhorar o quotidiano das pessoas.

O eleitor deve votar sempre pensando em seu município

Rodrigo de Castro

Rodrigo de Castro acredita que a função última de todo parlamentar é melhorar a vida da sociedade e das pessoas. Legislar é a maneira precípua de fazer isto.

Mas há outras formas de melhorar a vida das pessoas, às quais o parlamentar deve ter dedicação especial. Por exemplo: ajudar os municípios a realizar seus projetos, viabilizando, na esfera estadual e federal, as prioridades por eles definidas.

Rodrigo de Castro tem procurado ser um embaixador dos municípios junto às Secretarias de Estado e Ministérios. Ao propor uma emenda orçamentária, ao defender as suas reivindicações, está melhorando a qualidade da saúde, da educação, da segurança, enfim, dos serviços municipais e, portanto, das condições de vida das pessoas.

Rodrigo de Castro acredita no consenso unicamente pela força do diálogo

Ver e ouvir antes de falar e, às vezes, falar pelo silêncio

Rodrigo de Castro

Rodrigo de Castro é homem de diálogo, dotado de grande capacidade de ouvir e, em situações de conflito, conduzir e obter o consenso. Do jeitinho mineiro, herdou a amabilidade na forma de se relacionar com as pessoas, ao que juntou especial poder de congregar, exercitado na lida e nas superações do dia a dia.

Percebendo isso logo cedo, o PSDB deu-lhe a incumbência de coordenar, em âmbito nacional, o processo das eleições municipais de 2008. Entre os resultados desse trabalho, destaca-se o sucesso das campanhas de Curitiba, Teresina, São Luís, e Belo Horizonte.

Particularmente em Minas, teve importante papel no encaminhamento político que resultou na escolha do candidato à Prefeitura de Belo Horizonte naquelas eleições, tendo sido escolhido por Aécio Neves, no segundo turno do certame, como coordenador da campanha do partido que conseguiu eleger o seu candidato.

Em 2010, viajou com o Senador Sérgio Guerra por quase todos os Estados, em articulação para a realização das prévias do partido com vistas às eleições presidenciais, tendo tido, também, a especial incumbência de preparar e propor a regulamentação de referida consulta às bases.

Em 2012, participou ativamente da organização e da montagem de uma estrutura de apoio aos candidatos do partido nas eleições municipais. Em 2014, ajudou na campanha presidencial de Aécio Neves, em Minas Gerais.

Para Rodrigo de Castro, fazer política é promover a cidadania

Para ser bom deputado, tem que ser bom cidadão

Rodrigo de Castro

Para Rodrigo de Castro, o principal capital do país é o capital social, entendido como a sinergia do povo brasileiro, que o distingue, no mundo, como um povo solidário, capaz de atitudes de ajuda ao próximo.

Rodrigo captou muito bem essa característica brasileira e pensou logo numa forma de deixar essa chama sempre acesa. Criou o site Brasil Tem Jeito, cujo objetivo era ajudar aqueles que ajudam, colocando em contato pessoas e projetos, carências e possibilidades de solução, demandas e recursos. O fim do portal não representou o afastamento de Rodrigo de Castro das causas sociais, que continuam norteando sua atuação.

Rodrigo acredita que o Estado, sozinho, é impotente para resolver todos os problemas da sociedade e que somente a consciência social, isto é, a participação de cada um (a participação cidadã) poderá melhorar a nossa sociedade. Por isso, apoia o trabalho voluntário, cujo conceito propôs rever em Projeto de Lei que não só amplia as possibilidades de enquadramento como retira algumas amarras legais.

Sempre conectado com os problemas da cidade onde mora, Rodrigo de Castro procura envolver-se nas soluções, sugerindo ideias e propondo alternativas.

Elaborou o Projeto “BH Viva”, através do qual propunha o aproveitamento, como espaços de convivência social, de todos os prédios abandonados da administração pública, em Belo Horizonte. O projeto abrange vários imóveis que, de esconderijo de marginais, poderão ser transformados em centros de lazer e de prestação dos mais diversos serviços públicos. O Point Barreiro, inaugurado em 2010, é um bom exemplo do alcance social do projeto que transformou a antiga sede da Febem em espaço de diversão, cultura e lazer para a população do Barreiro e entorno.

Rodrigo de Castro defende a modernização da Praça da Liberdade e a sua transformação em Parque da Liberdade, em projeto que, sem prejuízo do ambiente característico da BH antiga, busca aproveitamento das áreas para a criação do Espaço Cultural de Belo Horizonte, com um moderno sistema de acesso viário.

Manteve por dois anos, entre 2012 e 2014, Rodrigo de Castro, na TV Alterosa, o Programa Minas Movimenta, com o objetivo de valorizar a cidadania. No mesmo período, veiculou na mineira Rádio Itatiaia, o programete Mineiro que Soma, que valorizava ações isoladas de pessoas que procuram ajudar a melhorar a sociedade, na comunidade em que vivem.

A prioridade de Rodrigo de Castro é a defesa do município

É lá que o povo vive; é lá que tudo deve acontecer

Rodrigo de Castro

Como representante do povo, Rodrigo de Castro procurou dar novo sentido a isso, colocando o município, que é o Brasil de cada um, como centro de todo o seu trabalho. Para ele, as células-mãe do município são os bairros e as ruas onde as pessoas vivem.

E Rodrigo de Castro conhece os municípios mineiros: seus problemas e seus valores. É nos municípios de sua base eleitoral que, desde 1995, como principal colaborador do trabalho de seu pai, Danilo de Castro, Deputado Federal por três mandatos, que vive boa parte de seus fins de semana: “procuro conviver o quanto posso com as pessoas que represento”.

O seu primeiro Projeto de Lei foi uma proposta de emenda constitucional, prevendo a transferência, aos municípios, de parte dos recursos provenientes da arrecadação tributária da União, para serem aplicados em projetos de segurança pública, combate à criminalidade e redução da violência urbana.

Ajudou a coordenar, dentro de seu partido, movimento de reposição das perdas dos municípios, decorrentes da redução do IPI para veículos e produtos da linha branca. Continua nessa luta, uma vez que o ressarcimento ainda não foi total e o uso desse instrumento tornou-se, erroneamente, a panaceia contra a desaceleração da economia.

Defende a revisão do pacto federativo, como fator de resgate da autonomia dos municípios. A partilha das responsabilidades não corresponde à partilha dos recursos arrecadados e isso está inviabilizando a melhoria dos serviços públicos municipais.

A construção política de Rodrigo de Castro tem como viga mestra a promoção do desenvolvimento dos municípios, com os quais procura aprimorar as relações de parceria para o melhor desempenho de suas funções de representação parlamentar.