Minas Movimenta homenageia as mães

No dia das mães, comemorado neste fim de semana, o programa apresentado por Rodrigo de Castro na TV Alterosa, Minas Movimenta, encontrou uma maneira simbólica de homenagear as mães mineiras. Selecionou exemplos de dedicação e superação de algumas delas para mostrar o heroísmo e a ventura de ser mãe.

Um dos quadros apresentados foi o da luta de uma mulher que se tornou mãe após oito anos de tratamento para engravidar. Acometida de endometriose, a contadora Luciana Guimarães, do bairro Inconfidentes, em Contagem, submeteu-se a cirurgias e a três procedimentos de fertilização que se resultaram frustrados. Teve ainda que vencer a ansiedade, a depressão e uma trombose medicamentosa, mas hoje está justificada e feliz com seu filho Miguel.

Menos desafiadora, mas também difícil e bastante curiosa, foi a realidade da mãe presidiária, mostrada pelo programa. Duas situações bem diferentes foram exibidas: a de uma mãe, cujo filho nasceu no presídio, e da mãe que teve que viver longe de seu filho após cometer crime. Para isso, o Minas Movimenta foi ao Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade, situado em Vespasiano, estruturado para permitir que as presas-mães fiquem com seus filhos até completarem 01 ano, após o que a Justiça determina a guarda que geralmente recai sobre familiares mais próximos.

Duas outras mães foram personagens do programa: a mãe centenária, Dona Sebastiana Rodrigues, do bairro Serrano, cheia de filhos, netos e bisnetos, e que, sem dificuldades para enfiar a linha na agulha, ainda costura e confecciona tapetes e colchas de retalho; e Dona Rose Mary, do bairro Floramar, cujo sentimento de mãe fez bem compreender a importância da doação de órgãos. Tendo perdido seu filho em acidente de carro, decidiu, mesmo enfrentando a opinião de familiares, que ele continuaria vivendo em outras pessoas: fez a doação múltipla de todos os órgãos dele. E, a partir daí, ela participa de campanhas institucionais, vai á escolas, hospitais, conversa com quem está na fila a espera de um órgão e com famílias de possíveis doadores.

“Falar de mãe é falar carinho, de sacrifício, de doação. Homenageá-la, mostrando um pouco desse heroísmo, foi o que o Minas Movimenta procurou fazer”, disse Rodrigo de Castro, apresentador do programa.

Assista:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *