Mês: março 2012

Anastasia apresenta resultados e metas para 2012

Fonte: Agência Minas

Durante reunião gerencial, Antonio Anastasia apresenta principais metas para o ano e resultados alcançados pelo Governo de Minas foram apresentados durante reunião

O governador Antonio Anastasia presidiu, nesta quinta-feira (29/03), na Cidade Administrativa, a 1ª Reunião Gerencial 2012 do Governo de Minas. O objetivo da reunião de trabalho foi apresentar as metas para 2012 e resultados alcançados pelos programas governamentais nos últimos anos.

O Governo de Minas vem implantando ciclos de reforma e modernização da gestão pública que tornaram o Estado mais eficiente na aplicação de políticas públicas com foco na melhoria da qualidade de vida da população. Está em curso o terceiro momento da modernização da gestão pública mineira, a Gestão para a Cidadania. Estruturada em redes de trabalho que integram as diversas áreas de governo, esse modelo busca a participação ativa da sociedade civil nos programas de governo.

Os ciclos tiveram início com o Choque de Gestão, em 2003, que trouxe o equilíbrio fiscal a Minas Gerais, devolvendo ao Estado a capacidade de investimentos. Entre 2007 e 2010, foi implantado o Estado para Resultados, quando foram aplicados os recursos, modificando indicadores importantes, em função das políticas públicas.

Anastasia ressaltou a importância da continuidade dos avanços, da recriação e reinvenção constante da administração pública com a participação de toda a sociedade.

“Vamos nos aperfeiçoando e melhorando a cada dia. Para isso é fundamental que tenhamos uma força única trabalhando em razão desses resultados: a administração direta, as autarquias, as fundações, as empresas estatais, em parceria com o setor privado; inovando nossa economia. É preciso agregar valor aos nossos produtos, aprimorar nossa infraestrutura, apostar na educação dos nossos jovens e crianças, melhorar a saúde de nossa população, desenvolver nossa cultura, cuidar do nosso meio ambiente, desenvolver a questão rural, ou seja, atuar em todos os aspectos do governo, de maneira planejada, harmônica, matricial e integrada”, explicou o governador.

Na Agenda de Melhorias são destacados dez desafios, cujo objetivo final do governo estadual, que é tornar Minas Gerais o melhor Estado para se viver.

Conheça os 10 desafios

Reduzir a pobreza e as desigualdades
Aumentar o nível de empregabilidade e as possibilidades de realização profissional
Garantir o direito de morar dignamente e viver bem
Desenvolver e diversificar a economia mineira e estimular a inovação
Viver mais e com mais saúde
Transformar a sociedade pela educação e cultura
Aumentar a segurança e a sensação de segurança
Promover e garantir a utilização sustentável dos recursos ambientais
Ampliar e modernizar a infraestrutura e os serviços públicos
Assegurar os direitos fundamentais e fomentar a participação cidadã

Equilíbrio financeiro

O governador Anastasia afirmou que, graças ao equilíbrio fiscal alcançado desde 2003, o Governo de Minas tem mantido seu plano de investimentos e obras, apesar da crise econômica mundial.

“As dificuldades econômicas sempre existiram e sempre existirão. O quadro não é confortável em nenhum estado, mas isso não pode ser empecilho. Temos de ser criativos. Como Minas Gerais felizmente tem uma gestão fiscal equilibrada e temos o aval da União, estamos conseguindo levantar recursos para investimentos junto ao BNDES, ao mercado internacional, ao Banco Mundial, para darmos consequência ao nosso programa de investimentos”, disse ele.

Ao final da apresentação, o governador informou que será entregue em breve à Presidência da República a Agenda Minas, um documento elaborado pelo Governo em parceria com entidades empresarias e a bancada do Estado no Congresso Nacional. A Agenda contempla um conjunto de projetos, como grandes obras viárias e de infraestrutura, que dependem de recursos da União.

“O objetivo é mostrar a necessidade de que essas obras se somem às do Estado, às obras do setor privado e dos municípios para termos o nosso desenvolvimento robusto e desdobrado”, disse Anastasia.

Valores de Minas

A exposição das metas para 2012, realizada pelo governador Anastasia, no auditório Juscelino Kubitschek, contou com a presença do vice-governador Alberto Pinto Coelho, secretários de Estado, secretários-adjuntos, subsecretários e presidentes de entidades e órgãos, além de representantes da sociedade civil. Entre as apresentações dos 10 desafios, foram exibidos vídeos institucionais de projetos do Governo de Minas nas áreas de educação, saúde e infraestrutura, como o Programa de Intervenção Pedagógica (PIP), Caminhos de Minas e Mães de Minas. No encerramento da reunião, jovens do projeto Valores de Minas fizeram uma apresentação musical para os convidados.

Metas 2012

Para cada um desses grandes desafios foram estabelecidas ações e metas para 2012. No esforço de reduzir a pobreza e as desigualdades, por exemplo, estão previstas a ampliação do Piso Mineiro de Assistência Social para 620 municípios; construção e implantação de mais de duas mil cisternas de captação de água de chuva no Grande Norte de Minas; implantação de 82 sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário em localidades no Nordeste e Norte do Estado.

Na área de saúde, cujo desafio é “Viver mais e com mais saúde”, estão previstas, entre outras ações, o acompanhamento de pelo menos 20 mil mulheres gestantes e de crianças de até um ano, por meio do call center Mães de Minas. Também são metas a implantação de dois hospitais regionais – em Juiz de Fora e Divinópolis – e inauguração de quatro Centros de Atenção Secundária para Hipertensos e Diabéticos nas microrregiões de Diamantina, Patos de Minas, Pirapora e Teófilo Otoni.

No item “Ampliar e modernizar a infraestrutura e os serviços públicos” estão previstos: plena operação do Estádio Independência e a conclusão das obras do Mineirão; início das obras do programa Caminhos de Minas; da implantação dos terminais metropolitanos na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e conclusão de 13 trechos do ProAcesso, além do reinício da expansão do metrô da capital mineira em parceria com o Governo Federal e a prefeitura de Belo Horizonte.

No campo da capacitação profissional estão previstos a inclusão de 30 mil novos alunos ao Projeto de Educação Profissional (PEP); criação de 35 mil vagas pela escola de formação Magistra para a capacitação continuada de profissionais da Educação; investimentos de R$ 160 milhões, por meio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), em parceria com a Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) em apoio a empresas inovadoras e parques tecnológicos; e implantação de cinco unidades do Minas Fácil (serviço prestado pela Junta Comercial do Estado de Minas Gerais, em parceria com diversos órgãos públicos, que permite aos empreendedores abrirem negócios de forma simplificada e ágil, em no máximo 8 dias).


Para Rodrigo de Castro atuação do PT no combate à violência è vergonhosa

Fonte: PSDB

Brasília– O deputado federal Rodrigo de Castro (PSDB-MG) afirmou que o desempenho do governo federal na promoção da segurança é marcado pelo descaso. “Nem na inteligência, nem na repressão e nem no apoio aos estados o governo do PT faz a sua parte”, disse o parlamentar.

Castro lembrou uma promessa de Dilma Rousseff, feita durante a campanha eleitoral, e desmentida semanas atrás pelo Ministério da Justiça. A então candidata à Presidência prometeu construir cerca de 3 mil bases comunitárias – aos moldes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Rio de Janeiro – em todo o país. No dia 14, reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo confirmou que o projeto foi engavetado pelo Ministério da Justiça, que considerou a proposta economicamente inviável.

“A presidente mostrou um despreparo muito grande. Prometeu o que não tinha capacidade de fazer. É mais uma prova de que o PT vira as costas para a sociedade em relação à segurança pública”, disse o parlamentar.

Governos estaduais
Como exemplo oposto do que se vê na esfera federal, Rodrigo de Castro citou ações de dois governos estaduais administrados pelo PSDB, os de São Paulo e Minas Gerais.

“A redução do número de homicídios em São Paulo é um exemplo”, disse o parlamentar. A cada ano, segundo números divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU), os crimes com mortes têm sua incidência diminuída no estado administrado por Geraldo Alckmin.

E em Minas Gerais, Castro destacou os investimentos feitos pelo então governador Aécio Neves, quer expandiu as vagas prisionais no estado. “É a prova de que, com competência e planejamento, podemos combater a violência”, disse.


Minas Movimenta vai aos aglomerados de Belo Horizonte

A expressão “comunidade carente” para referir-se à população situada nos morros ou no entorno das metrópoles é tão discriminatória quanto o uso dos termos “subdesenvolvido” ou “de terceiro mundo” para referir-se a países. O que efetivamente existe são aglomerados de pessoas em busca e em fase de desenvolvimento, não importando a dimensão territorial que se considere – país, metrópole ou morro.

Sob a ótica do programa, que é a valorização da cidadania, mostrando iniciativas voluntárias que buscam promover as pessoas, o Minas Movimenta foi ao Aglomerado da Serra, ao Morro do Papagaio e outras regiões de Belo Horizonte para encontrar gente que está fazendo diferença, e encontrou líderes comunitários e artistas, alguns já conhecidos da população em geral, com os quais falou sobre o trabalho que vem desenvolvendo em prol da comunidade.

No Morro do Papagaio, o Minas Movimenta falou com Cristiano Silva, o Cris do Morro, cantor e compositor, que já gravou dois discos em parceria e hoje segue carreira solo, como cantor de música gospel. Cris do Morro é um vencedor e o seu maior exemplo de superação está no domínio de si mesmo e na transformação da mágoa pela morte do irmão, vítima da guerra de gangues, em sentimento de amor ao próximo e paixão pela comunidade. Entendeu que em vez de tiro e reação violenta à polícia, o Morro precisa é de música, arte e consciência de cidadania.

 

Saiba quem está promovendo atividades que melhoram o dia-a-dia da comunidade: Assista os últimos programas.


Minas Movimenta aborda a questão do crack

A esperança de muitos está  em pessoas que se movimentam pela causa.

Em sua segunda edição, o Minas Movimenta trouxe, no último domingo, a discussão da questão do crack, mostrando o trabalho de duas instituições da iniciativa voluntária que cuidam da recuperação de usuários daquela e de outras drogas: Mães de Minas contra o Crack e Comunidade Reviver.

A Comunidade Reviver nasceu do espírito religioso e do exercício apostólico do Sr. David Arão e tem sede em Jaboticatubas, uma cidade que fica no santuário ecológico do Parque Nacional da Serra do Cipó, conhecido por suas cachoeiras e pela sua rica fauna e flora.

É para esse lugar, propício ao relaxamento e descanso, que muitas pessoas se dirigem para um tratamento terapêutico contra o vício, num recolhimento de seis meses – o tempo de uma gestação – de que renascem para uma nova vida. Daí o nome da Comunidade. Lá dependentes de álcool e de drogas ouvem palestras, refletem, convivem com outras pessoas, entram em contato com a natureza e têm oficinas de trabalho, na preparação para uma nova vida.

Com bela captação de imagens, o Minas Movimenta, conduzido por Rodrigo de Castro, mostrou a importância da “Comunidade Revivier” na valorização da cidadania e na reconstrução de muitos lares. Mostrou, ainda, as dificuldades da instituição que precisa de colaboradores: profissionais de saúde e de outras áreas correlatas que ministrem palestras; empresários e voluntários com experiência que organizem oficinas de trabalho; e também doações financeiras e materiais em geral – de construção, de informática e outros.

Assista na íntegra o segundo programa que foi ao ar no último fim de semana:

Tem coisa nova no ar

No próximo domingo, o mais novo programa da TV Alterosa, o Minas Movimenta, vai tratar da questão do uso do crack, mostrando que, quando as pessoas querem e encontram mão amiga e solidária, há saída para esse preocupante problema que aflige a família e a sociedade.

O programa vai mostrar testemunhos eloquentes de como a “Comunidade Reviver” vem ajudando jovens a superar o vício e indicar, aos usuários e às suas famílias, como buscar essa ajuda.

A “Comunidade Reviver” é uma instituição que se mantém por meio de doações das pessoas em geral e é aberta também a receber palestrantes voluntários, das diversas áreas profissionais, bem como oficinas de trabalho para ministração a seus internos. Está inscrita no site www.brasiltemjeito.org para a divulgação de seu trabalho e captação de voluntários e apoiadores.

Além desse projeto, o “Minas Movimenta” foca, no próximo domingo, o trabalho do grupo “Mães de Minas contra o Crack” que reúne mães de usuários e de ex-usuários de crack para discutir os problemas relacionados com o vício, compartilhar soluções e combinar ajuda a outras famílias também atingidas.

Pela grandiosidade e atualidade das questões apresentadas em sua primeira edição e nesta segunda, que agora vai ao ar, o “Minas Movimenta” está prometendo trazer a discussão, no âmbito da sociedade, de importantes temas, com um olhar novo, o da valorização da cidadania.

Domingo passado, o trabalho filantrópico do Hospital Baleia na superação de doenças. Neste domingo, a dura luta contra o crack. Próximos domingos, mais lutas, mais solidariedade, mais superação, mais cidadania. Isto é o “Minas Movimenta”, o que há de novo no ar, pela TV Alterosa, todos os domingos, às 9 horas da manhã.

Exceto Zona da Mata (sábado, às 8h) e Sul de Minas (sábado, às 9h30).

Minas Movimenta – um programa de cidadania

com surpreendente apresentação de Rodrigo de Castro

 

O Deputado Rodrigo de Castro apresentou no último dia 11 de março (domingo), na TV Alterosa, um programa sobre o importante trabalho do Hospital da Baleia, de Belo Horizonte, que atende pessoas não só da Capital como de todo o interior de Minas.

Com entrevistas feitas a dirigentes do hospital e a vários dos pacientes, o programa mostrou a amplitude de cobertura daquela unidade de saúde, que é o maior hospital filantrópico do país e referência, no Estado, em ortopedia e traumatologia, oncologia, nefrologia e cirurgias de fissuras labiopalatais.

O programa, que leva o sugestivo nome de “Minas Movimenta”, mostrou também a história de superação de muitas pessoas que contam, além dos serviços do “Baleia”, com a dedicação e a solidariedade de familiares no tratamento de doenças que as afetam.

Em bate-papo com o apresentador do programa, Rodrigo de Castro, a equipe deste site procurou saber mais a respeito da iniciativa, tendo dele obtido a informação de que a apresentação de ontem sobre o Hospital da Baleia “foi a primeira edição de um programa que se pensa levar ao ar todas as manhãs de domingo pela TV Alterosa”. A nossa proposta, disse Rodrigo, “é fazer um programa que valorize a cidadania, mostrando não só instituições, como o Baleia, como também pessoas que se dedicam a projetos humanitários, que ajudam outras pessoas na superação de problemas”

Indagado sobre o que o levou a pensar na apresentação de um programa de televisão, Rodrigo de Castro disse que “a ideia surgiu da experiência obtida com o brasiltemjeito, site colocado a serviço das iniciativas voluntárias e que tem por objetivo unir ou fazer a ponte entre quem precisa de ajuda e quem pode ajudar. Imaginei que um programa de televisão podia dar amplitude a esse trabalho e aí contei com a ajuda indispensável do pessoal da TV Alterosa.. Com muito trabalho, mas com muito interesse e determinação da Alterosa, conseguimos colocar no ar a primeira edição do Minas Movimenta

Questionado ainda sobre como ele iria conciliar a preparação do programa com a sua atividade parlamentar, Rodrigo de Castro ressaltou: “São atividades distintas. O programa Minas Movimenta, assim como a manutenção e gestão do brasiltemjeito, é uma atividade minha como cidadão e não se confunde com a minha atividade parlamentar. Sou deputado e, quando não estou ocupado dessa tarefa, faço as coisas como um cidadão qualquer. Mas, respondendo à sua pergunta, posso dizer que a produção do programa está por conta da TV Alterosa, cabendo-me cuidar da seleção dos projetos que serão abordados e gravar, o que a gente consegue programar entre uma atividade e outra, isto é, nas horas vagas”.

Concluindo o bate-papo, Rodrigo de Castro não deixou de fazer o seu comercial: “Espero que vocês me prestigiem, e também a causa da cidadania, reservando um tempinho, nas manhãs de domingo, para ver o meu programa, combinado? Minas Movimenta agradece”.

Assista ao primeiro programa que foi ao ar no último final de semana:

Geração de energia e repovoamento de rios

Os problemas relacionados com o meio ambiente são cada vez mais perceptíveis e, cada vez, mais próximos de nós. São as enchentes que se tornaram o quadro comum na temporada das chuvas; os ciclones – antes nunca vistos no país, agora comuns na região sul; a elevação da temperatura – nossos verões são cada vez mais quentes, atingindo mais de quarenta graus em determinadas localidades; e a própria descaracterização das estações, surpreendendo aqueles que lidam na agricultura.

E por que estamos vivenciando essas terríveis catástrofes? É muito comum dizer-se ou ouvir-se que o homem está destruindo o planeta. Mas será que o problema é o homem ou tal afirmação esconde a maneira equivocada como a humanidade – e aí se entendam os governantes – vem tratando a questão?

A preservação do meio ambiente tem que ser pensada globalmente e praticada localmente. Se não houver políticas públicas que norteiem as ações setoriais, a atividade do homem não passará de atitudes isoladas, indispensáveis, mas desintegradas e desvinculadas de objetivos e metas racionais, podendo até ser eficazes, mas dificilmente efetivas.

Se, diferentemente, as ações do homem forem conjugadas a partir de um foco, de uma ideia ou de um desejo ou necessidade coletiva, chegar-se-á a soluções mais rápidas e mais definitivas e à construção de uma nova mentalidade e de uma nova cultura. A proteção do meio ambiente precisa dessa revolução que não acontecerá se não for pensada globalmente pelos nossos governantes.

Deixando de lado exemplos universais, gostaria de ilustrar essa tese fazendo uma referência ao programa “Peixe Vivo”, mantido pela CEMIG em convênio com a EPAMIG, para o repovoamento das bacias do Rio Paraibuna e do Rio Paraíba do Sul, que banham parte dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. No território de Minas, a CEMIG possui unidades geradoras de energia elétrica. Consciente de que a obstrução dos rios pode colocar em risco algumas espécies de peixe, aquela empresa mantém estações de piscicultura em Volta Grande, Itutinga e Machado Mineiro que já produzem anualmente 800 mil alevinos; e também celebrou convênio com a CODEVASP para adquirir mais 400mil alevinos das estações de Três Marias e Gorutuba. Somente a Zona da Mata Mineira contará, este ano, com 50 mil alevinos, fruto daquela parceria.

Trata-se de uma ação pensada de forma sistêmica. Para produzir energia, a CEMIG produz também peixe. Não pode matar aquele seu consumidor que vive da pesca ou dela se alimenta. E mais: não pode gerar danos ambientais sob o pretexto de gerar energia.  Parabéns à CEMIG e à EPAMIG.


Rodrigo de Castro

Minas Movimenta: O novo programa da TV Alterosa

Apresento, neste final de semana, o novo programa da TV Alterosa,   Minas Movimenta. Vamos mostrar o trabalho de pessoas e entidades que se dedicam a ajudar outras pessoas a superar dificuldades.

Na primeira edição o Minas Movimenta visita o Hospital da Baleia.

Venha saber como o “Baleia” faz cidadania.

Minas Movimenta:

– Na TV Alterosa, domingo, às 9 horas.

Exceto Zona da Mata (sábado, às 8h) e Sul de Minas (sábado, às 9h30).

Conto com a sua audiência!

Twitter: @MinasMovimenta

Facebook: Minas Movimenta

YouTube: youtube.com/minasmovimenta


Rodrigo de Castro